segunda-feira, julho 23

Coisas.

Estive pensando em coisas. Essas coisas que de repente aparecem e somem. Pensei no que sumiu e no que apareceu. Volta e meia eu ando por aí, meio perdida de mim mesma. Me encontro na meia volta que dou, bem ali parada naquela esquina, sem saber ao certo se vou para a direita ou para a esquerda, não importa, nunca importou, no fim eu chego no começo e vou para a frente. Não gosto de voltar atrás, mas as vezes voltar atrás significa virar para a direita. Ou para a esquerda. Não importa. Ando sem destino, no começo eu pensava que andar significava encontrar alguma coisa. Nem sempre encontro. Não encontrar significa achar alguma coisa? Estive pensando também, nessas voltas. Paro e penso, não sei ao certo quanto tempo paro nem quanto tempo penso, sei que, volta e meia eu paro, volta e meia eu ando e fico assim, dando voltas em torno de mim mesma, sem querer voltar ou ir. Sem querer parar. Agora eu me encontro num lugar onde eu não imaginava estar, cheguei aqui sem saber aonde eu estava indo. Isso pode significar algo, digo, isso pode significar alguma coisa? Essas coisas podem significar algo? Esse algo pode significar alguma coisa? Não sei ao certo, o certo é que sei o que acontece, parece que nunca acontece nada, parece que nada de vez em quando vira um todo. Está me ouvindo? Me vejo sentada ali e aqui, me vejo lá e não sei ao certo aonde estou. De vez em quando, essas coisas, me dão um calafrio, alguma coisa me dá um calafrio, que coisa é essa? É calafrio? Não sei bem ao certo. Agora eu sei, ainda tenho que caminhar, ficar parada não resolve nada, daqui pra frente eu chego lá e bem ali eu sento. Vou saber que caminhar nem sempre me leva a algum lugar, nem sempre caminhar quer dizer que eu vá sair de algum lugar. Queria mesmo, era sair do chão.

Um comentário:

Aline disse...

Sensações. Parece que é delas que viemos. Ou com elas vamos. Sei lá! beijos