terça-feira, outubro 10

Uma borboleta amarela...



Cigarras e pássaros faziam festa lá fora como dois instrumentos afiados em uma orquestra. A melodia invadia lentamente meus ouvidos, gritando no inconsciente de um sonho mágico. Aos poucos fui despertando e ao abrir os olhos, vi um pedaço da tintura da parede que estava se desprendendo. Virei para o outro lado da cama e percebi um raio de luz invadindo meu quarto. Fechei os olhos observando cores e formas...

Eu estava sentada em um gramado tão verde que em alguns momentos aquela cor viva parecia brilhar. Observava uma borboleta amarela que dançava de um lado para o outro. Ela estava me chamando para mais uma dança... Levantei-me e sentindo toda a sutileza de cada movimento do meu corpo dei um primeiro passo a fantasia. Mesmo de olhos fechados eu podia enchergar, sentir e ser tudo a minha volta. Escutei um barulho de asas batendo e abri os olhos. Um pássaro havia pousado em uma árvore distante, invocando magia com seu canto doce. Senti uma quentura invadindo meu coração... Automaticamente olhei para trás vendo alguém se aproximar. Fitei os olhos tentando identificar o rosto, mas as coisas ficaram embaçadas demais...

Meu despertador tocou me informando que eram 5:00am. Sorri por ter mais alguns minutos preciosos de sono. Puxei um pouco mais o cobertor me aconchegando por entre travesseiros...

Um brilho intenso machucava minha íris. Eu estava piscando bastante e por mais esforço que eu fizesse não conseguia ver quem se aproximava. Fechei os olhos e esfregando-os me abaixei até sentar no gramado. Quando os abri novamente eu estava observando a borboleta amarela que dançava de lá para cá. Abaixei meus olhos em sinal de raiva pelos meus devaneios. Respirei fundo e dei uma olhada para um céu límpido e azul. Perdi em pensamentos e frustrações. Fechei os olhos e minha cabeça caiu para o lado. Respirei fundo... Soltei todo o ar do pulmão e abri os olhos. O que eu via era um objeto prata e o infinito cravado nele...

Um comentário:

F. S. Júnior disse...

Engraçado como a vida pode ser tão boa e espetacular a partir das pequenas coisas... é tão estranho quando estamos na melhor parte do sonho, daí então, acordamos e ao acordar, percebemos que ainda temos um tempinho a mais na cama, daí então voltamos para o sonho na esperança de enfim desvendar o mistério do grand finale, daí então, o sonho já é outro.... gostei do blog e gostei ainda mais da linha tênue entre fantasia e realidade. Beijos!