segunda-feira, novembro 5

Ismália


Quando Ismália enlouqueceu,
Pôs-se na torre a sonhar...
Viu uma lua no céu,
Viu uma lua no mar.

No sonho em que se perdeu,
Banhou-se toda em luar...
Queria subir ao céu,
Queria descer ao mar...

E, no desvario seu,
Na torre pôs-se a cantar...
Estava perto do céu,
Estava longe do mar...

E como um anjo pendeu
As asas para voar...
Queria a lua do céu,
Queria a lua do mar...

As asas que Deus lhe deu
Ruflaram de par em par...
Sua alma subiu ao céu,
Seu corpo desceu ao mar...

Alphonsus de Guimaraens

4 comentários:

Eu disse...

Que graça! No domingo, eu, minha irmã Cecília e uma amiga minha estávamos no Pastel Mix... De repente, começamos a nos perguntar de quem era o poema Ismália... beijos, Aline

Gaby Zaupa disse...

Um dos poemas mais belos e tristes.. :~

ianmarcelo disse...

Olho pra cima, vejo a Lua;
Olho pra baixo, vejo um lago;
Olho pro lago, vejo a Lua;
Olho pra Lua,
Cadê o lago?

Verônica Lima disse...

Amo este poema.
Fiz até uma série de fotografias/serigrafias inspiradas nele quando fazia Artes. Na verdade juntei a Ismália e a Ofélia, que também amo, e vejo andando juntas de mãos dadas por aí.

Este ano ainda não parei pra fazer nenhuma resolução de Ano Novo... que coisa, só percebi quando li seu post... :/

Feliz 2008 - e anos subsequentes! - pra você, menina!!

Beijocas