segunda-feira, agosto 6

Profundo. Pro fundo., (Reflexão)

Estou dizendo que minha cabeça de vez em quando quase tomba. Não sei ao certo como ela ainda pode ser sustentada, meu corpo parece ser mais forte do que eu. Um peso gigantesco quase me leva a nocaute e se eu cair vou direto pro chão, meu corpo vai para o chão, mas minha mente permanecerá caindo e caindo e caindo numa queda livre onde o profundo do meu ser chega em silêncio à um labirinto. Pro fundo do meu ser. Digo que minha cabeça já não sustenta mais o que sou, pareço pesar dentro de mim, e já não entendo mais como posso permanecer de pé. Perco-me dentro do que sou e me procuro fora de mim, aigo pelo labirinto tentando chegar em meu coração, que aida pulsa em meu calar. Estou em queda livre e já não sei mais quem eu sou. Vejo minha vida passar diante dos meus olhos e me cego pelo que sei que sou, pela única certeza do que se é ser. Caio em reflexão, no profundo do meu ser, pro fundo de mim. Caio...

Um comentário:

F. S. Júnior disse...

por vezes certos mergulhos em nós mesmos são bem penosos... mas quase sempre necessários.